Náthaly Maria escreve ao Portal Igreja na Mídia sobre sua experiência no Círio de Nazaré.

Círio de Nazaré 2018 - Belém/ PA


A festividade do Círio de Nazaré é a maior festa religiosa do Brasil e uma das que mais reúne fiéis em todo o mundo.


Em outubro, Belém costuma receber mais de dois milhões de visitantes de todos os cantos do Brasil para agradecer a Rainha e padroeira da Amazônia pelas bênçãos e milagres alcançados.


Em 1792, o Vaticano autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, acontecendo assim a primeira procissão do Círio de Nazaré em 8 de setembro de 1793, e nesse ano de 2018 chegando a sua 226ª edição com o tema: “Uma jovem chamada Maria”.

Náthaly Maria, da paróquia Nossa Senhora da Piedade e serva do grupo de oração Água Viva da Renovação Carismática Católica esteve este ano na festividade do Círio e nos conta como foi sua experiência. 

Náthaly Maria: "Pra eu participar do Círio foi algo extraordinário. Você é tomada completamente pela energia do local. Você sente a fé de dois milhões de pessoas. É algo muito forte. O Círio transmite uma energia tão grande que é difícil não se emocionar. Você sai de lá uma pessoa fortalecida e renovada."


As comemorações anuais do Círio de Nazaré compõem-se por várias etapas, tendo 12 procissões oficias na festa que se estendem por quinze dias. As principais romarias do Círio de Nazaré, são:



ROMARIA FLUVIAL

A imagem peregrina é levada em um navio pelas águas da Baia do Guajará e acompanhada por centenas de barcos imensos e pequenas canoas até o porto de Belém em uma linda romaria fluvial aonde é recebida por uma enorme multidão.
TRANSLADAÇÃO

Sempre no sábado, véspera de Nossa Senhora de Nazaré, acontece a Trasladação, uma procissão à luz de velas que faz o percurso inverso da grande procissão de domingo, o Círio. A missa que antecedeu o início da trasladação do Círio foi celebrada no colégio Gentil Bittencourt. Após a cerimônia, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada na berlinda e teve início a peregrinação pelas ruas da cidade até chegar a Catedral da Sé.



A procissão inicia por volta das 17 horas e faz o percurso por aproximadamente 6 horas.
O CÍRIO

O principal evento ocorre no segundo domingo de outubro com a grande procissão do Círio, que tem reunido mais de dois milhões de pessoas na capital do Pará. O percurso é de 3,6 km e já chegou a ser percorrido em nove horas e quinze minutos, no ano de 2004, no mais longo Círio de toda a história.
Muitos fiéis pagam suas promessas na noite da translação e na manhã do Domingos do Círio. 

Os ex-votos que carregam objetos feitos a mão que simboliza a graça alcançada. É comum ver pessoas levando partes do corpo feita de madeira, a quem leve tijolos representando casas, fotos de pessoas doentes que receberam curas e até livros por ter passado em vestibular. É uma infinidade de promessas.

Há também promesseiros que percorrem todo o trajeto da procissão de joelhos.
"Ver essas pessoas andar todo aquele trajeto de 3 km de joelho sobre o sol escaldante, descalço e no meio de 2 milhões de pessoas é algo muito comovente. Só olhando para o rosto e a expressão de cada uma delas é capaz de sentir. É impossível não chorar. Simplesmente. E é emocionante ver como são amparados durante o tempo todo por voluntários que estão ali por eles.



Pessoas que sentem dores, mas que trazem consigo superação e agradecimentos. Cada olhar refletia na minha alma e eu chorava.

A todo momento eu me arrepiava com todas aquelas imagens na minha frente. É o tipo de cena que fica marcada na memória sabe!?

"Continua Náthaly, ao falar da emoção transmitida.
A CORDA NO CÍRIO DE NAZARÉ

Um dos mais importantes símbolos do Círio de Nazaré é a corda na qual os milhares de fiéis disputam espaço para tocá-la.


Introduzida no Círio em 1855, foi somente 30 anos depois, em 1885 que a corda começou a fazer parte oficialmente da procissão.


Até aquele Círio, a Berlinda onde a Santa é levada era puxada por cavalos, quando atolou na região do Ver-o-Peso, e os promesseiros passaram a puxá-la com a corda. A partir daí, a corda virou uma tradição, e está presente na Transladação, que ocorre na noite de sábado, e no Círio propriamente dito, na manhã de domingo. São 800 metros de corda dividida em duas, cada uma delas com 400 metros e 700 quilos.
"A fé e força dos fiéis que vão na corda é algo muito emocionante também. Primeiro porque é muita, muita gente mesmo disputando um espaço pra por a mão na corda e é uma massa que se move até de forma desgovernada na mesma direção. Muitos passam até mal e chegam a desmaiar pelo sufoco e calor. É surpreendente e está ali diante dos nossos olhos."

E por fim 15 dias após o Círio a festividade acaba com uma procissão de despedida, o RECÍRIO. A última das 12 romarias. Ao final, a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré encontrada as margens do rio retorna altar-mor, na Basílica onde a imagem permanece até o próximo Círio.


"Saí de lá com a fé renovada, com o coração calmo e alegre. Com todas aquelas sensações, e emoções vividas. Com todas as imagens em minha memória. Essa foi minha primeira experiência com o Círio e espero ser o primeiro ano de muitos que virão."

Náthaly Maria
Grupo de oração Água Viva da Renovação Carismática Católica
COMPARTILHAR:

+1

0 Response to "Náthaly Maria escreve ao Portal Igreja na Mídia sobre sua experiência no Círio de Nazaré."

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
PORTAL IGREJA NA MÍDIA - COMUNICAÇÃO À SERVIÇO DA IGREJA.. Tecnologia do Blogger.